domingo, 27 de abril de 2014

Caso do atirador de Realengo.


Não existe nenhum vídeo do Wellington que 
faz referência a Real, ele fala que foi vítima de maus tratos.

Em 2011, ocorreu o maior massacre numa escola da zona oeste do Rio de Janeiro, o ex-aluno da Escola Municipal Tasso de Oliveira em Realengo, invade a escola e atira nos alunos, principalmente nas meninas. O fato de maior número ter sido de meninas, as feministas se aproveitaram da situação e fizeram escândalos, ignorando as vitimas homens.

Naquele tempo, não tinha Facebook, era o tempo do Orkut, e um grupo denominado Sanctos (eram ex- membros da Real, que possuiam ideias radicais a nossa, que jurou vingança contra nós, por ter sido expulso da Real) fizeram uma comunidade com o título “Eu ri do Massacre de Realengo!”. Foi uma excelente estratégia dos Sanctos para difamar os Guerreiros da Real, que funcionou muito bem, até a Lola Bagulhão se aproveitou da situação e fez uma propaganda em cima disso para difamar a Real e ter mais seguidoras para o seu movimento misandrico.

Como a Lola é canalha e patife, começou escrever várias matérias e vídeos, associando o Movimento da Real com o Massacre de Realengo, os guerreiros mais antigos começaram a ficar com medo fechando sites, blogs, comunidades, etc pois o escândalo que a baleia terrestre fez foi tão grande que os guerreiros bateram de retirada.

Mas, existe um, porém, toda a família da minha namorada são moradores de Realengo (a prima da minha namorada estuda nessa escola e não estava na hora do tiroteio)  e conhecia muito bem o Wellington Menezes, o atirador de Realengo. Quem iria imaginar um membro da Real conhecer as pessoas, que conhecia o atirador de Realengo. Fiquei tão indignado com a difamação da Real, que quis realizar um documentário falando sobre a vida do Wellington Menezes, que ele não tinha nada a ver com o movimento da Real e com os muçulmanos.

Fui à Mesquita (templo dos muçulmanos) e eles falaram que o Wellington nunca esteve lá, que talvez ele tivesse se inspirado no Osama Bin Laden, que nada tem a ver com eles. Wellington sem amigos e namorada, passava o maior tempo na internet, que buscou inspiração nos “radicais islâmicos”.

Para salvar a moral da Real, quis realizar um documentário, pegando depoimentos das pessoas que conheciam o Wellington, mas pediram para mim não realizar as filmagens, porque mexeria com os traumas dos familiares. O que me foi relatado, que ninguém respeitava o Wellington, as pessoas batiam e humilhava, que ele andava na rua, as pessoas davam tapas na cabeça dele. Aquilo que falaram era verdade, que ele sofria Bullying na escola, que era sacaneado por todo mundo, principalmente pelas meninas.

O fato dele ter matado mais meninas, existe uma explicação, foi que ele apanhava dos meninos mais forte a mando das meninas, a tal ponto que o pegaram de cabeça para baixo e deram descarga e as garotas se divertiram com isso. O que me relataram, que o Wellington sofria grande problema de solidão, que as garotas não queriam namorá-lo porque era feio e pobre, então sofria com grandes problemas de baixo autoestima. Ele apresentava grandes problemas psiquiátricos, então o seu ato não tem nada a ver com o Movimento da Real. Na época os guerreiros mais antigos, fizeram uma vistoria nas nossas antigas comunidades e nunca foi achado o perfil do atirador no nosso meio.

Então porque ele atirou nas pessoas que nada tinha a ver, o que ele tinha sofrido no passado? Existe um filme japonês chamado “Zero”, que lembrar muito bem a tragédia do Realengo, que é a história de um rapaz que se veste de super herói (no caso do Wellington de muçulmano) e volta à escola que estudou na sua infância e mata todo mundo da escola. Ele escutava vozes o tempo todo, que era para matar os alunos daquela escola. Quando ele matou todos os alunos, ele começa discutir com a voz dizendo: “Porque matei essas pessoas, eles não fizeram nada comigo?” e a voz responde: “Realmente eles não fizeram nada contra você, mas estudam na escola onde as pessoas te fizeram mal no passado. O problema não são eles, e sim a escola, como você não pode se vingar das pessoas que te fizeram mal, então se vinga da escola!”.

Essa cena me fez lembrar do Wellington, que o problema não foram as vitimas que ele fez, mas sim o local, era a escola Tasso de Oliveira. Por acaso tem outro filme japonês com a mesma temática (agora não me lembro do nome do filme), que ele mata todo mundo da escola, que estudou na infância, que descontou nas pessoas que não tinham nada a ver. Então o problema era a escola de Tasso de Oliveira, não foram as vítimas e sim o local, que fazia lembrar a infância infeliz do atirador. 

Wellington nunca foi muçulmano!
A estrume da Lola sempre teve a intenção de associar a tragédia de Realengo com o movimento da Real, como uma boa feminista, ela mente, não medindo as consequências dos seus atos, tudo isso para conseguir seguidoras. Não tenho medo de escrever essa matéria, porque sei do que estou escrevendo, sou morador da zona sul do Rio de Janeiro e a policia se quiser pode me rastrear, porque uso o computador da minha casa. Não estou fazendo apologia a ódio, mas sim venho ao público explicar o que realmente aconteceu, que o atirador do Realengo não tem nada a ver com o nosso movimento.

A Real não prega ódio e misoginia, por isso, muitos membros foram expulsos formando os Sanctos, que juraram vingança contra nós. Somos contra a qualquer tipo de violência, porque zelamos pela a vida dos homens, que sofrem opressão através do movimento feminista, se o Wellington tivesse conhecido a Real, com certeza não teria acontecido essa tragédia. Já recebi vários e-mails de homens dizendo que iria matar a mulher e depois cometer suicídio, mas depois que conheceu a Real, mudou completamente de ideia. Que a Lola para de difamar a Real, para de ser canalha e patife, ela fala o que fala, porque muitos guerreiros tem medo de se manifestar, porque todo o sistema estão a favor das mulheres e contra os homens.

Soube que muitos guerreiros pararam de escrever devido a esse acontecimento, mas peço a todos os guerreiros antigos, que escreviam votam a escrever, porque o nosso movimento não pode parar, pois devemos educar as gerações mais  nova com a Filosofia da Real.

Sejam Felizes e Superam as Paixões.

Blog de filosofia oriental:  http://vispassi.blogspot.com.br/

Trabalho sobre o feminismo http://feminazismoreal.blogspot.com.br/


2 comentários:

  1. Excelente artigo! já vi inclusive pessoas dizendo que ele tinha ligação com o Silvio Koerich (o criminoso, não o blogueiro).

    ResponderExcluir
  2. O caso do Wellington já começa praticamente na família que foi desestruturada pelo feminismo,onde pelo que eu sei foi criado pela avó e um irmã adotiva parece que não conhecia a mãe e o pai e isso fez com que desenvolvesse sérios problemas psicológicos e para piora ainda sofria buliying na escola apoiado pelas mulheres pois como todo mundo sabe as mulheres são as maiores apoiadoras de quem prática buliying e com isso é possível entender porque desenvolveu tanto ódio das mulheres,na verdade ao contrário como pensam as feminazis o massacre de realengo foi provocado pelo próprio feminismo que destruiu a família e fez nascer uma geração de filhos sem nenhuma estrutura familiar que permitissem se desenvolver saudáveis,talvez se o Wellington tivesse sido criado em uma família tradicional decente não teria se transformado em um maníaco psicótico ou até mesmo se tivesse sido respeitado pelas mulheres na escola não teria desenvolvido tanto ódio por elas,na verdade homens bons e honestos como o welligton acabam sendo vítimas de uma sociedade cruel e misândrica pois na verdade as vagabundas feministas lutam é contra homens bons e apoiam todo tipo de homens que não prestam na sociedade.

    ResponderExcluir